Construindo um novo mercado de trabalho: estamos prontos para um novo surto da pandemia?

PAE

PAE

Em março de 2020, o mundo declarou quarentena para conter a pandemia de Coronavírus. Embora essa medida restritiva tomada pelo governo pareça ter ajudado a controlar a propagação do vírus, também teve efeitos drásticos na vida profissional de milhões de pessoas, já que muitos trabalhadores ficaram desempregados e outros milhões foram empregados por pouco tempo.

A maioria dos setores do mercado de trabalho foram prejudicados por essa situação. Algumas empresas foram forçadas a fechar completamente, e as que continuam abertas tiveram uma grave caída.

A uma previsão de que a economia europeia deverá contrair cerca de 7%, e com a taxa de desemprego vai aumentar de 6,7% em 2019 para 9% em 2020, conforme projetado pela Spring Economic Forecast da Comissão Europeia. Tendo isso em mente, é importante saber como as empresas europeias estão se preparando para a transformação do mercado de trabalho.

Este artigo procura abordar o seguinte:

  • Quais profissões serão as mais requisitadas?
  • Quais profissões estão em risco?
  • O que as empresas têm feito para manter os funcionários nos seus empregos?

 

Quais profissões serão as mais requisitadas?

Devido ao confinamento pelo COVID-19 muitas empresas e profissões sofreram grandes mudanças. Porém, existem algumas que estão prosperando, pois, viram um aumento significativo na demanda.

As medidas restritivas feitas pelo governo para impedir a propagação do vírus ocasionaram muitas mudanças nas empresas e a maioria delas estão reajustando seus modelos de negócios e ambiente para se adaptar à crise do COVID-19.

As profissões mais requisitadas são:

Especialistas na saúde

Especialistas na saúde estão sendo mais requisitados por causa do aumento de casos pela pandemia do COVID-19. A pandemia destacou a importância de uma boa saúde e o papel crítico que os profissionais de saúde desempenham no tratamento e redução da propagação do vírus. Há também uma alta demanda por equipamentos e produtos médicos, como máscaras cirúrgicas e desinfetantes para as mãos.

Os desequilíbrios nos trabalhadores da saúde são uma grande preocupação na região europeia. De acordo com as Indicações Básicas de Saúde da Região Europeia da OMS, o número de médicos e enfermeiros na região aumentou aproximadamente 10% nos últimos dez anos. Mas, provavelmente todo esse aumento não será suficiente para atender a demanda da população. Como os enfermeiros têm um papel crucial no cuidado de idosos, a busca por eles são ainda maiores.
Obter o número certo de especialistas da saúde é essencial se a Europa quiser conter efetivamente a pandemia de coronavírus.

Delivery

Quando mais as pessoas seguem as regras e ficam em casa, as vagas estão sendo abertas nessa área. Há uma grande demanda por vendedores que podem entregar alimentos e outros itens essenciais, já que seus movimentos são restritos a determinadas áreas.

Desde o isolamento, a demanda por deliverys na Europa aumentou, com um número crescente de restaurantes oferecendo entrega a domicílio. A maioria dos restaurantes foi forçada a fechar as portas para encaixar nas regras do isolamento social, alguns deles adotarão entrega a domicílio para se sustentar durante a crise.

Telecomunicações

Hoje mais do que nunca, muitas empresas estão fazendo home office para garantir a segurança de seus colaboradores diante dessa pandemia. Enquanto alguns setores da economia estão colapsando, esse setor está experimentando um recorde já que a valorização das telecomunicações disparou.

Freelancing

Profissionais como desenvolvedores da web, escritores de conteúdo, profissionais de marketing, etc, também estão sendo altamente requisitados. Como a maioria dos trabalhadores tiveram que trabalhar em casa pelo distanciamento social, muitas empresas se tornaram digitais. Isso explica o aumento significativo da demanda por profissionais que podem realizar seu trabalho remotamente.

Engenheiro de software

Os engenheiros de software também estão no topo da lista de profissionais mais requisitados, isso porque a maioria das empresas procura sempre melhorar os talentos tecnológicos. A maioria dos engenheiros de software pode trabalhar em casa. Como isso, eles podem continuar trabalhando em casa.

Analistas de dados

A maioria das empresas está contratando analistas de dados para ajudá-las a analisar o  aumento do COVID-19 e como isso pode chegar a afetar a empresa. Com isso, ser analista de dados fica na lista dos mais requisitados.

Quais profissões estão em risco?

Não é novidade que as medidas restritivas do COVID-19 estão afetando todos os setores do mercado de trabalho europeu. Mas, esse impacto é diferente em cada setor. A maioria dos trabalhadores está empregada em setores com uma grande queda na demanda pelo bloqueio, levando a grandes perdas de empregos em toda a região.

A Organização Internacional do Trabalho alertou que 1,6 bilhão de trabalhadores da economia informal estão em risco imediato de ter seus meios de vida destruídos.
Para minimizar a quantidade de empregos perdidos pelo COVID 19, primeiro você precisa entender quais empregos tem um maior risco; em outras palavras, aqueles que correm o risco de perder seus empregos. Aqueles em risco são os recém formados que trabalham nos setores mais afetados pelo bloqueio.

Uma pesquisa da McKinsey & Company, mostra que cerca de 7,6 milhões de empregos estão em risco, e as pessoas com renda mais baixa são as mais vulneráveis ​​a ficarem desempregadas. As pesquisas sugerem que quase 50% dos empregos em risco estão em ocupações que ganham menos de £10 por hora.
Outro grupo de pessoas com maior probabilidade de perder o emprego são as pessoas nos setores mais afetados pelo distanciamento social. Esses setores são: hospitalidade, negócios pequenos, artes, transporte e construção.
Concluindo, se não forem tomadas medidas políticas rápidas, muitas pessoas correm o risco de perder seus empregos devido ao impacto do COVID-19 no mercado de trabalho europeu.

O que as empresas estão fazendo para manter os funcionários?

A regra de não sair de casa ajudou muito a combater o COVID 19, sem dúvida teve efeitos drásticos no bem-estar dos funcionários de várias empresas. Mudou o jeito de trabalhar, as empresas e seus funcionários também devem se acostumar e tomar medidas para conservar seu trabalho.
A seguir mostramos cinco maneiras pelas quais as empresas podem ajudar os funcionários a manter seus empregos.

Treinar funcionários para o trabalho remoto

Geralmente, os primeiros a fazerem qualquer inovação a aproveitam ao máximo. Com muitas empresas se tornando digitais, é importante treinar os funcionários para o trabalho remoto. A organização de treinamento avançado baseado na Internet pode proporcionar aos funcionários as habilidades para prosperar em um ambiente de trabalho remoto.

Trabalho flexível

Agora mais que nunca, ser flexível no lugar onde se trabalha tornou-se muito importante. Trabalhar em casa afeta os funcionários de maneira diferente. Os empregados têm diferentes condições de vida e responsabilidades; não é aconselhável generalizar a flexibilidade de trabalho para os funcionários.
É importante conversar com os empregados sobre quando e como eles podem trabalhar melhor com o mínimo de distrações.

Melhorar a comunicação corporativa

É importante que os funcionários tenham informações verídicas sobre as estratégias da empresa e as diversas mudanças feitas pela nova realidade de trabalho durante o COVID 19. Muitos empregados sentem medo têm de perder o emprego por causa das informações que recebem de diferentes fontes. É responsabilidade do chefe tranquilizar quanto à sua segurança no emprego e atualizá-los sobre as recentes estratégias de gestão de crises adotadas pela empresa para combater os efeitos da pandemia.

Revisar as políticas de saúde da empresa

Enquanto as restrições de bloqueio são levantadas, qualquer funcionário doente deve ficar em casa para evitar colocar em risco o bem-estar de outros funcionários. No entanto, a maioria dos funcionários foi encontrada trabalhando em um escritório, mesmo quando doente. É por isso que é importante ter uma política de licença médica mais flexível que permita que os funcionários admitam honestamente suas condições de saúde sem medo de esgotar seus dias de incapacidade.

Oferecer um ambiente de trabalho seguro
Como chefe, você deve garantir que o local de trabalho seja seguro para os funcionários trabalharem sem risco de serem contagiados. É importante considerar continuar com o distanciamento social e, se o espaço do escritório for limitado, considerar fazer turnos para garantir que a área de trabalho não fique lotada em qualquer momento.
Levar a sério o bem-estar dos funcionários
Um funcionário saudável é um negócio saudável. Os empregadores devem desenvolver estratégias que ajudem a empresa a garantir o bem-estar dos funcionários durante esta crise. Você pode considerar meditação para ajudar os funcionários a lidar com o estresse e torná-los mais alerta e produtivos.

Conclusão

A pandemia de COVID-19 teve um grande impacto no mercado de trabalho europeu, houve um aumento do número de perdas de postos de trabalho. Os que tem maior risco de perder seus empregos são os jovens profissionais de baixa renda que trabalham em setores como hotelaria, pequenos negócios, artes e entretenimento. Pensando nisso, as empresas devem adotar medidas como flexibilidade de horário, melhoria da comunicação e a oferta de um ambiente de trabalho seguro para garantir a segurança de seus colaboradores.

 

Fonte: Jobsora. (2020). “Sobre trabajo, carrera y empleo”. Obtido de: https://mx.jobsora.com/blog

¿Te gustó este artículo? Compártelo en tus redes sociales
LinkedIn
Facebook
Twitter
WhatsApp
Email
logo pae

Contate-Nos

Ciudad de México, México

Nossos serviços
Servicios Adicionales
Assine nosso blog, lá vamos te passar informações sobre saúde emocional, dicas de nutrição, atividades físicas e muito mais.
Call Now ButtonLlámanos